31

subsolo
nado num
mar de livros
que nunca irei ler
livros tais que só enchem
meu ser de algo
que não possa
chamar-se
vazio

5 comentários:

Traurigkeit disse...

Pois somos poços sem fundo, sempre vazios de algo que nem mesmo todos os livros do mundo conseguiriam preencher, essa é a sede do conhecimento, ou seria algo mais?

Camila S. disse...

identificação instantânea.

Guilherme disse...

Hehe, achei que nunca mais ia ver um texto aqui...

Jiquilin disse...

encantador!

Ana Luiza disse...

Que linda a poesia! Dessa sua arte eu não sabia...gostei.

bjo, Ana Lu.