19

Sinto-me melhor. Nada como passar as tardes lendo contos sobre mulheres enlouquecidas. A fantasia expurga os meus medos, que são substituídos pelo pânico das personagens. Essa me parece a melhor, a mais linda solução. Se eu seguir os conselhos desses cidadãos que me rodeiam, aí sim já estaria lhe escrevendo direto de uma clínica psiquiátrica, como o nosso velho Holden, querido leitor. Procurei todas as aparentes ajudas que cruzaram o meu caminho. O psiquiatra disse que eu entrei num quadro de pânico, a psiquiatra disse que não era nada demais, o homeopata me alertou sobre um problema nos rins, que, segundo a medicina chinesa, está associado à sensação de medo, e a moça do centro espírita me disse pra ir com deus. Ir para a puta que a pariu, bien sûr.
É. A literatura está aí, para isso. E os amigos, ah, os amigos. Os terapeutas prostitutos. Que seria de mim sem eles? Eles e meus remedinhos. Perfeito.

2 comentários:

Santiago disse...

Com excessão de um ou outro remédio, dos terapeutas profissionais e do gurus, ainda sou a favor de qualquer estratagema à felicidade nesse mundo, desde que não me atrapalhe nas artes da semana, hehehe.

Daniela disse...

Ah, a literatura... O homem não inventou nada melhor. (: