37

Odeio o início das coisas, meu deus, como ODEIO. Pronto, já foi. Faz sair sangue, não é mesmo, Clarice querida? Pois sim. Não sei se a mudança é o necessário. Alguma ação já faria diferença. Alguma compreensão de tudo que está se passando. Mas como assim? COMO ASSIM, PORRA?! Será tão simples quanto parece? Preciso apenas entender porque todos os dias, todos os malditos dias nesses últimos meses pelo menos uma vez eu tenho me perguntado por que diabos estou como estou, se há algo produtivo nisso, se dói, se existe, e se existir, se haverá calma em saber que existe. Não pode ser tão simples, eu já estou aqui, já me submeto a este nível mínimo de compreensão. Não. Algo a mais tem que ter, não é possível, não posso ser o único a ter crises existenciais diárias. Simplesmente NÃO É POSSÍVEL. Sair. Pular milhões de músicas, todas dão aflição, nenhuma serve ao momento. Nenhum livro agrada, nenhuma linha, nenhuma palavra sequer. Filmes me deprimem. Pessoas me ajudam e vão embora. Algumas vão embora pra sempre e eu não consigo mais suportar isso. Vida cada vez mais anulada a cada minuto que passa. Cada vez mais imbecil, mais inútil, mais desesperada, cada vez menos.

4 comentários:

Guilherme disse...

Come on you raver, you seer of visions,
Come on you painter, you piper,
You prisoner, and shine!

Ciro Cruz disse...

Nunca vão embora, não de verdade...

As dúvidas sempre irão existir, fato. A diferença é que a maioria das pessoas fecha os olhos para o que realmente importa, (in)felizmente esse não é o seu caso.

Camila S. disse...

Menos com menos dá mais, que a matemática um dia venha a fazer sentido!

Paty disse...

"Pessoas me ajudam e vão embora". Essa foi a parte que me pegou, porque é o que acho mais odioso no meio de tudo, e, ironicamente, é o que mais acontece.

Ao menos através da escrita, se pessoas que gostamos não estão presentes, nós podemos nos aliviar e expressar a raiva justamente por causa de toda essa ausência.

Espero dias melhores, para você e para mim. :)