66

declaração

você é o pó que fica sobre os meus lábios
depois de horas de escavação
exumação da biblioteca-túmulo.
(você é a prova de que há vida em tudo que é morto
e de que o movimento não escapa nem ao mais morto deus.)

6 comentários:

Alicia disse...

É...para morrer, há que se ter tido vida.
E td aquilo que tem vida, tem a cia da morte.

Alisson da Hora disse...

Lindo demais...

"(você é a prova de que há vida em tudo que é morto
e de que o movimento não escapa nem ao mais morto deus.)"

Lembrei de A Hora da Estrela:

"Silêncio.
Se um dia Deus vier à terra haverá silêncio grande."

Calemos-nos, pois... e apreciemos teus versos, sempre lindos...

=*

Camila S. disse...

A eterna luta contra a mortalidade. Armas: palavras.

Guilherme disse...

Muito bom!!!

poemismo disse...

porra.
sério, o que vc faz é muito novo.
eu acho demais de bonito.

Andressa disse...

A prova de que há vida em tudo que é morto? Interessante.