103

é tudo metro

desenrola o filme,
põe o negativo contra a luz,
alinha as tuas entranhas,
endireita os quadrinhos,
desvenda o tempo,
desfaz a minha roupa;
e costura a vida de novo.

2 comentários:

Âmala Barbosa disse...

É tudo poesia!

VerMent* disse...

Rapaiz. Como está tudo cinza por aqui! Métrico. Métrico!

E eu vivo nada desempenada...