112

sol na cara.
escrito em 20 de março de 2012.

A alça do soutien, caída, aparecia por fora da manga da camiseta. Uma tosse cremosa compunha o ambiente musical junto com o roncar dos motores que passavam. Encurvou o pescoço perto do poste e fez-se fonte: cai, lentamente, um fio de catarro.

Olha pro meu rosto e, enquanto tento manter a face neutra, ouço-a dizer:

- Esse cigarro!

- !

- Pra gente fumá e bebê, tem que comê comida forte. Senãonumdá.

4 comentários:

Estevão Daminelli disse...

dieta equilibrada

Sarah Valle disse...

acho que me lembra deste... mas não de "tosse cremosa"! Como disse Italo Calvino, o perigo do retorno é que possa ser esquecido antes que ocorra.

VerMent* disse...

nessas horas, eu odeio ser sinestésica.

<3

Fred Caju disse...

Que massinha por aqui!