117

cortesia

somos todos filhos da puta:
a puta coesa poesa
ia
cor e corte
nosso sangue está na moda:
esperamos a última foda
lambemos os olhos
e deciframos a morte

4 comentários:

Estevão Daminelli disse...

"nosso sangue está na moda:
esperamos a última foda
lambemos os olhos
e deciframos a morte"

bicho!

Davi Machado disse...

Aline Ferocidade nesse poema!
muito bom, mesmo!

VerMent* disse...

somos todos filhos da puta. pra mim, isso já diz muito ultimamente...

#Belo e arisco. Adorei.

Anderson Lopes disse...


De que vale ser filho da santa??
Melhor ser filho da outra puta!